Rua João Lisboa s/n São Pedro
Codó-MA CEP 65.400-000
(99) 3661-3856
(99) 98805-2207
suporte@hostdominus.com.br
vendas@hostdominus.com.br

Hospedagem de Sites


11 dicas para aumentar a conversão no seu site

Uma das grandes vantagens de ter um site é a possibilidade de vender algo, seja produto ou serviço. Mas, como em qualquer estratégia digital, é importante estar atento aos resultados. E aí, como estão as suas vendas online?

Para que se tenha um bom número, o site precisa estar otimizado para a conversão. Pensando nisso, fiz uma lista com 11 dicas para você aumentar a conversão do seu site 🙂

1. Se preocupe com a 1ª dobra do site

A primeira dobra do site é tudo aquilo que aparece na tela sem precisar rolar a página, isso significa que 100% das pessoas que entram no seu site vêem essa 1ª dobra. A partir da rolagem o número de pessoas que vêem o conteúdo cai vertiginosamente. Por isso dê a devida importância para o visual dessa primeira parte, assim você conseguirá capturar a atenção do visitante com mais rapidez. Uma dica é não esquecer de colocar o botão de ação (ex: comprar, baixar) bem visível nesse local, ele será sua primeira oportunidade de conversão.

2. Adicione depoimentos

Os depoimentos possuem uma função importante no site, pois mostram a opinião e o ponto de vista de quem já adquiriu o serviço, isso pode estimular outras pessoas. Ainda mais quando lembramos que no mercado pode existir centenas de sites que vendem a mesma coisa que você. As pessoas precisam ser convencidas de que o que você está oferecendo e/ou vendendo é muito bom e diferente dos demais. E ver uma pessoa terceira comentando sobre o seu produto/material é muito mais convincente.

3. Faça fotos e vídeos

As pessoas querem ver coisas reais, querem ver algo que elas se identifiquem. Imagens e vídeos chamam mais a atenção do que apenas texto. E se você puder produzir essas imagens e vídeos também chama mais a atenção do que material de banco de imagem, por exemplo. Ah, depoimentos dos clientes em vídeo é bem convincente também 🙂

4. Mostre cases de sucesso

Só há uma coisa melhor do que ver exemplos: é ver exemplos que deram certo. Assim, você mostra o que os clientes podem alcançar com o que você está oferecendo. Isso faz com que as pessoas tenham aquilo como espelho e exemplo a ser seguido.

5. Cite as vantagens

Por mais que algumas possam ser muito claras, liste todas as vantagens que você acredita que realmente sejam importantes para os usuários. Isso fará com que eles analisem e decidam pelo seu produto e não por outro.

6. Diferencie os planos

Se você oferece seu produto com diferenciações de planos, mostre as vantagens e as diferenças entre cada um deles. Quem compra por mais tempo ou paga mais caro, por exemplo, gosta de sentir que está recebendo mais vantagens na compra. Em vez de achar que estão “gastando” vão pensar que estão “ganhando”, mesmo pagando por isso.

7. Diga qual o plano mais indicado

O paradoxo da escolha às vezes é ruim, então, na dúvida, indique. Deixe claro para que serve cada item para que as pessoas não comprem por engano ou abandonem logo após a compra. E, ainda, dentro todos os itens/planos, diga qual o mais comprado ou mais indicado. Isso deixa o processo de compra mais ágil e com mais taxa de sucesso.

8. Em formulários, não peça muitas informações

Deixe o formulário rápido e fácil de ser preenchido para que o seu visitante não desista no meio do caminho, já que ter muitos campos em um formulário desestimular a compra. Otimize e pergunte apenas o essencial. Questione você mesmo também, se pergunte para que você precisa de tal dado. E, mesmo precisando, veja se consegue perguntar em outro momento.

9. Faça uma landing page para cada item

Cada ideia/item que você está querendo vender merece uma página só para isso. Não misture assuntos. Ter uma landing page para cada otimiza o processo de compra além de você poder trabalhar nas divulgações de forma separada, afinal, os públicos podem ser totalmente diferentes.

10. Na hora da conversão, não ofereça distração

Em landing pages ou em páginas de carrinho, não ofereça distrações para os usuários, ou seja, não mostre links que façam com que ele saia dessas páginas sem comprar ou baixar um conteúdo. Dê foco para a ação principal e você terá mais resultado.

11. Tenha um site rápido de carregar

Há estudos que indicam que quanto mais demorado o seu site é para carregar, mais as pessoas irão abandoná-lo sem fazer nada. Afinal, estamos sempre com pressa, não é mesmo? Otimize o tamanho dos arquivos do site: não suba imagens e vídeos tão pesados, por exemplo.

Dica Bônus

Esta não tem a ver com o site em si mas irá ajudar você a converter muito mais! Se preocupe com o Reclame Aqui e redes sociais, ou seja, locais onde as pessoas podem estar falando mal do seu produto ou necessitando de ajuda. Mostrar pró-atividade e empatia na resolução de dúvidas e problemas diz muito sobre você e/ou sua empresa 

Fonte: HostGator


Site fora do ar: como evitar os principais motivos que causam indisponibilidade?

Você fez tudo o que é recomendado para criar um site sem cometer falhas, mas aí surgiu um problema: o seu endereço ficou indisponível. A intenção era fortalecer a presença online, mas com o site fora do ar isso compromete a imagem do seu negócio e atrapalha a estratégia de marketing. Sem falar no caso das lojas virtuais, onde cada segundo de indisponibilidade significa uma venda a menos.

Para ficar mais fácil de entender, vamos voltar lá no início da construção do seu site. Você já ouviu falar que criar um site é muito parecido com construir uma casa? Será preciso escolher um endereço e um terreno antes de começar a construção. O terreno que abriga a casa equivale ao serviço de hospedagem de um site. É lá que você armazenar todo o “material” do seu site, blog ou loja virtual. A indisponibilidade do servidor pode ser um dos motivos que tiram o seu site do ar, mas existem muitos outros. Venha entender.

Motivos que podem deixar um site fora do ar

Diversos fatores podem interferir na disponibilidade do seu site na internet, desde um domínio expirado, ataques de hackers e até bloqueios de rotas internacionais. Listamos abaixo as principais ocorrências e o que você pode fazer para evitá-las.

1. Falhas na programação do site

Se você fez o seu site sozinho, usando uma ferramenta como o Criador de Sitesou algum outro de gerenciador de conteúdo como o WordPress, é provável que você não tenha feito nenhuma alteração de código. Mas se você contratou um desenvolvedor, certamente ele utilizou uma linguagem de programação, como PHP ou JavaScript, para criar o seu site. Neste caso, algumas alterações no código-fonte ou um simples erros no código podem deixar o site fora do ar. Por isso, é importante conversar com o seu desenvolvedor sobre eventuais falhas que possam provocar a indisponibilidade do seu site.

2. Erros no redirecionamento de URL

Você já ouviu falar alguma vez sobre “redirect 301“? É uma orientação que aparece num determinado endereço, redirecionando o usuário para o endereço correto. Nos casos de extensões de domínio de cidades, por exemplo, usar o redirecionamento é uma alternativa para a sua estratégia de marketing. Poderia ser feita assim: você registra o domínio www.chaveiro.floripa.br e redireciona este site para o site que você já tem, que pode ser www.chaveirodailha.com.brMas se o redirecionamento não é feito da forma correta pode deixar o seu site fora do ar. Como este não é o único tipo de redirect, verifique com seu desenvolvedor se isso pode estar causando a indisponibilidade.

3. Falhas na configuração do site na hospedagem

Depois de escolher o seu fornecedor de hospedagem é necessário fazer a configuração. Se você não tem tanto conhecimento em programação de sites é importante contar com o auxílio da equipe da empresa que está contratando. Inclusive, no momento de escolher uma hospedagem para o seu site, verifique se existe um suporte especializado, que atenda em português e esteja disponível 24 horas por dia.

Uma pequena falha na configuração do site na hospedagem pode deixá-lo fora do ar, então na hora de você configurar o seu site cuide com atenção as questões como: compatibilidades, instalação correta do CMS, revise a transferência do conteúdo, verifique temas e plugins. Qualquer equívoco pode deixar o seu site fora do ar, converse com a equipe de atendimento da empresa sobre as versões compatíveis com o serviço e também sobre o escopo do suporte, ou seja, que tipo de configuração é de responsabilidade da empresa ou sua.

4. Uso de recursos do plano de hospedagem

Ao contratar um serviço de hospedagem você escolhe um plano, que geralmente tem uma capacidade de recursos de processamento, memória, uso de disco, link com a internet e outros. Caso o site alcance este limite estabelecido no plano, ele pode ficar fora do ar. Existem diversas causas para o uso excessivo de recursos, como por exemplo: sites muito populares com grande número de acessos simultâneos, plugins em sistemas de gerenciamento de conteúdo, scripts mal desenvolvidos, atividades de uso excessivo de FTP, bancos de dados e outros. Mas tudo pode ser facilmente resolvido conversando com um consultor da empresa de hospedagem.

5. Indisponibilidade do servidor de hospedagem

Você já ouviu falar em uptime? Este é o termo usado para identificar o tempo de atividade de um servidor. Quanto mais alto for o uptime, significa que as chances de ter o site fora do ar são pequenas. Os melhores servidores de hospedagem costumam garantir uptime de 99,9%. Ou seja, a chance de um site ficar fora do ar é de apenas 0,1% num determinado período. Se você contratou um fornecedor que oferece essa garantia, significa que o seu site pode ficar fora do ar por no máximo oito horas no período de um ano, que tem 8.760 horas no total.

Fonte: HostGator


Manutenção de Sites: como o pós-venda pode aumentar a sua receita

Quem trabalha com desenvolvimento de sites sabe que concluir um projeto e entregá-lo ao cliente não significa, obrigatoriamente, o fim da prestação de serviços. O pós-venda e a manutenção de sites podem render uma boa renda extra. Por isso, neste post vamos apresentar algumas dicas sobre como vender o serviço de atualização e manutenção de sites.

6 tipos de manutenção de sites

Só garantir a presença digital não basta, também é preciso se diferenciar para atrair a atenção do público. Por isso, manter um site atualizado é tão importante quanto criar um novo site. Veja abaixo alguns tipos de manutenção que você pode oferecer aos seus clientes.

1) Backup

Uma preocupação essencial para quem tem um site é a segurança. Pensando nessa demanda, um serviço que você pode incluir no seu pós-venda é a oferta de backups. A regularidade pode variar de acordo com o tamanho da empresa ou o tipo de negócio, desde backups diários, semanais, quinzenais ou mensais. Essa rotina é fundamental para garantir que o seu cliente não perderá tudo caso ocorra algum imprevisto. Temos um post sobre backup online com alguns argumentos relevantes para defender a importância da manutenção de sites.

2) Código fonte

No dia a dia é comum surgirem situações em que o serviço de suporte está diretamente ligado ao código fonte. Por isso, é interessante reforçar junto aos clientes que um código limpo e sem erros reduz os custos de manutenção de sites. Este também é um meio de valorizar o seu trabalho e explicar os custos de um projeto.

3) Análise de tráfego

Outra demanda que pode ser caracterizada como manutenção de sites é a análise de tráfego. Ou seja, você pode avaliar a performance de cada página e propor estratégias para melhorar o desempenho. Isso vale tanto para aumentar a conversão de e-commerces, reduzir a taxa de rejeição e até aumentar o índice de visitantes únicos, por exemplo.

4) Atualização avulsa

Quem trabalha com desenvolvimento também costuma ser muito procurado para fazer a manutenção de sites estáticos. São demandas caracterizadas como avulsas e vão desde atualizações simples de conteúdo, como endereço e número de telefone, a upgrades mais completos, que envolvem ações como modificar a arquitetura da informação.

5) Manutenção periódica

Você também pode criar planos periódicos de manutenção de sites. Essa prática pode ter muita relação com sites de e-commerce, que requerem atualização constante. A periodicidade pode ser negociada com o cliente e as alterações também podem estar previstas em um acordo de nível de serviço. Também é importante atualizar o cliente sobre as atividades desenvolvidas, tanto para apontar o que foi feito, como para valorizar a sua atuação.

6) Reconstrução

Existem projetos em que a simples manutenção de sites não atende a expectativa do cliente. Então, quando for necessário corrigir muitas falhas no código fonte ou modificar bastante o projeto web, ofereça a reconstrução. Este serviço também se aplica aos casos em que é preciso reformular um site para adequá-lo aos dispositivos móveis. Você já leu nosso post sobre mobile first?

Conhecendo o perfil dos seus clientes você pode adequar a oferta de serviços. Existem diversas outras possibilidades, como a escolha de hospedagem e serviços de SEO para a otimização de páginas, entre outros. Mantenha um arquivo com os principais dados dos projetos web que trabalhou e faça contatos regulares de pós-venda, pode ser por e-mail ou por telefone, por exemplo. Além de oferecer a manutenção de sites você também pode fidelizar seus clientes. Já pensou nisso?

Boas práticas na entrega de um projeto web

A entrega de um projeto web é um momento muito importante para o cliente, pois é a concretização de um objetivo. Portanto, este é o momento para iniciar o pós-venda. Faça uma apresentação completa do site, explique detalhadamente o painel de controle e entregue um manual de instruções. O ideal é que o material tenha captura de telas, pois isso vai auxiliar o cliente a gerenciar o site. Aproveite a oportunidade para falar sobre os ajustes que serão necessários ao longo de um determinado período e reforce a importância do backup. Quanto mais solícito e esclarecedor você for, mais confiante e satisfeito ficará o cliente com o seu trabalho, aumentando as chances de aquisição de novos serviços.

5 passos estratégicos para o pós-venda

  1. Apresentar detalhadamente o projeto web, funcionalidades e recursos do painel de controle.
  2. Entregar um manual de instruções com a captura das telas para facilitar o reconhecimento do usuário.
  3. Mencionar os ajustes necessários no projeto web e o prazo recomendado para cada um deles.
  4. Ressaltar a importância do backup regular para resguardar as informações do site.
  5. Fazer contatos periódicos (podem ser mensais) para saber se o projeto web está correspondendo as expectativas e se colocar à disposição.

Você já coloca as dicas deste post em prática? Compartilhe conosco a sua experiência!

 

Fonte: HostGator


Por que um site lento é problemático (e como resolver isso)

Qual a sua reação quando está tentando acessar um site e ele não carrega? Se você fica incomodado, saiba que não está sozinho: 64% dos usuários tendem a deixar a página e buscar outro site que seja mais rápido. Este dado foi publicado pelo Profissional de E-commerce, que divulgou um alerta para quem vende pela internet: 79% dos usuários mais frequentes não compram em sites que são muito lentos.

Para ajudar a resolver os problemas de um site lento, o Google lançou uma ferramenta voltada para empreendedores, que testa a velocidade de sites, o Teste meu SiteO recurso é gratuito e apresenta o tempo de carregamento da página classificando se o resultado é satisfatório ou não e estimando um percentual de visitantes que deixam de acessá-lo por conta da lentidão. A ferramenta pode enviar um relatório gratuito com dicas de como aperfeiçoar o seu endereço digital. Aproveite também para comparar a velocidade de carregamento com o de outras empresas do seu setor.

Site lento: 7 pontos que devem ser avaliados

  1. Testar a velocidade na conexão padrão
  2. Analisar os dados do site
  3. Verificar HTML/CSS
  4. Executar JavaScript
  5. Testar a usabilidade em dispositivos móveis
  6. Dimensionar o conteúdo para mobile e verificar a legibilidade do texto
  7. Comparar a velocidade do seu site com outros semelhantes

Se você é empreendedor e não entende de desenvolvimento de sites, fique tranquilo pois existem vários recursos para verificar se sua página está lenta, inclusive já citamos aqui no blog. Veja 5 ferramentas gratuitas para testar a velocidade de carregamento do seu site. Independente do recurso escolhido, é imprescindível que você conheça as principais métricas do seu site. Afinal, é a partir dessas informações que você saberá quais as melhorias necessárias para atrair novos visitantes para o seu endereço digital.

3 motivos para acelerar a velocidade do seu site

Para quem tem um negócio online, o maior prejuízo de um site lento é deixar de vender. A Pesquisa Conversion do Consumidor Digital 2017 afirma que 93% dos brasileiros conectados já realizaram compras pela internet. Então, não espere mais para aumentar a velocidade de carregamento e a qualidade do seu site, pois isso também pode ser considerado uma estratégia de venda.

Usabilidade

A usabilidade é responsável por deixar os sites mais intuitivos e fáceis de usar. A facilidade de uso é um fator crucial para que os usuários permaneçam em uma determinada página ou não. Portanto, a lentidão não é o único problema que um site pode apresentar; um visitante pode desistir de continuar em um site se não encontrar as informações que busca. Para saber mais sobre usabilidade, leia o post que indica 7 páginas importantes que o seu site deve ter.

Ranking do Google

Você quer que o seu site apareça entre os primeiros resultados na busca do Google? Uma das suas preocupações deve ser resolver os problemas que deixam o site lento. É importante otimizar as imagens, desabilitar recursos desnecessários, habilitar o cache e claro, escolher uma hospedagem de confiança. Se ficou em dúvida sobre as recomendações, veja o post 7 dicas para melhorar a velocidade do site.

Experiência do Usuário

Atualmente se fala muito sobre a experiência do usuário e a mudança no comportamento dos consumidores. Uma pesquisa do Google aponta que 79% das pessoas que usam smartphones querem encontrar as informações que buscam de forma instantânea. Isso significa que se o site do seu negócio é lento e não está adaptado para os equipamentos móveis, essa não será uma boa experiência e você pode perder vendas e clientes. Quer melhorar a experiência do usuário? Confira se a sua empresa tem um site de qualidade.

Dispositivos móveis: velocidade é fundamental

Os smartphones contribuíram para tornar os consumidores mais imediatistas. Com a internet ao alcance das mãos, todos querem resultados imediatos, como apontou a pesquisa que citamos no parágrafo anterior. Se neste cenário um site lento já não tem vez, uma página que não é adaptada para dispositivos móveis também perde muitas oportunidades.

Se você ainda não ouviu falar em mobile first, é importante saber o que é e quais as vantagens de usar essa técnica para criar um site. A jornada de compra passa pelas ferramentas de busca, site e redes sociais, e muitas vezes todos os acessos são feitos pelo smartphone. Esses canais fornecem elementos que pesam na decisão dos consumidores. Por isso, um site lento pode fazer o seu negócio perder pontos e o cliente optar pela concorrência, mesmo que o seu produto ou serviço tenha mais qualidade ou melhor preço.

O site do seu negócio deve ser uma extensão da sua empresa, por isso é importante que a sua presença online esteja compatível com a realidade. Imagine que você tem uma transportadora e preza pela agilidade nas entregas, mas seu site é lento, a experiência do usuário é ruim e o consumidor não encontra as informações que busca. Para a internet ser a porta de entrada para novos clientes, você precisa manter o seu site em ordem e preparado para receber os novos visitantes, refletindo a qualidade dos seus serviços e do seu atendimento.

Por fim, lembre-se: as empresas que se adaptam mais rápido às mudanças tendem a se destacar mais, principalmente num cenário extremamente competitivo, como é a internet. Então, estude o seu público-alvo e ofereça a melhor experiência para fidelizá-lo e aumentar a rentabilidade do seu negócio.

Fonte: HostGator