Rua João Lisboa s/n São Pedro
Codó-MA CEP 65.400-000
(99) 3661-3856
(99) 98805-2207
contato@hostdominus.com.br
vendas@hostdominus.com.br

Hospedagem de Sites


Manutenção de Sites: como o pós-venda pode aumentar a sua receita

Quem trabalha com desenvolvimento de sites sabe que concluir um projeto e entregá-lo ao cliente não significa, obrigatoriamente, o fim da prestação de serviços. O pós-venda e a manutenção de sites podem render uma boa renda extra. Por isso, neste post vamos apresentar algumas dicas sobre como vender o serviço de atualização e manutenção de sites.

6 tipos de manutenção de sites

Só garantir a presença digital não basta, também é preciso se diferenciar para atrair a atenção do público. Por isso, manter um site atualizado é tão importante quanto criar um novo site. Veja abaixo alguns tipos de manutenção que você pode oferecer aos seus clientes.

1) Backup

Uma preocupação essencial para quem tem um site é a segurança. Pensando nessa demanda, um serviço que você pode incluir no seu pós-venda é a oferta de backups. A regularidade pode variar de acordo com o tamanho da empresa ou o tipo de negócio, desde backups diários, semanais, quinzenais ou mensais. Essa rotina é fundamental para garantir que o seu cliente não perderá tudo caso ocorra algum imprevisto. Temos um post sobre backup online com alguns argumentos relevantes para defender a importância da manutenção de sites.

2) Código fonte

No dia a dia é comum surgirem situações em que o serviço de suporte está diretamente ligado ao código fonte. Por isso, é interessante reforçar junto aos clientes que um código limpo e sem erros reduz os custos de manutenção de sites. Este também é um meio de valorizar o seu trabalho e explicar os custos de um projeto.

3) Análise de tráfego

Outra demanda que pode ser caracterizada como manutenção de sites é a análise de tráfego. Ou seja, você pode avaliar a performance de cada página e propor estratégias para melhorar o desempenho. Isso vale tanto para aumentar a conversão de e-commerces, reduzir a taxa de rejeição e até aumentar o índice de visitantes únicos, por exemplo.

4) Atualização avulsa

Quem trabalha com desenvolvimento também costuma ser muito procurado para fazer a manutenção de sites estáticos. São demandas caracterizadas como avulsas e vão desde atualizações simples de conteúdo, como endereço e número de telefone, a upgrades mais completos, que envolvem ações como modificar a arquitetura da informação.

5) Manutenção periódica

Você também pode criar planos periódicos de manutenção de sites. Essa prática pode ter muita relação com sites de e-commerce, que requerem atualização constante. A periodicidade pode ser negociada com o cliente e as alterações também podem estar previstas em um acordo de nível de serviço. Também é importante atualizar o cliente sobre as atividades desenvolvidas, tanto para apontar o que foi feito, como para valorizar a sua atuação.

6) Reconstrução

Existem projetos em que a simples manutenção de sites não atende a expectativa do cliente. Então, quando for necessário corrigir muitas falhas no código fonte ou modificar bastante o projeto web, ofereça a reconstrução. Este serviço também se aplica aos casos em que é preciso reformular um site para adequá-lo aos dispositivos móveis. Você já leu nosso post sobre mobile first?

Conhecendo o perfil dos seus clientes você pode adequar a oferta de serviços. Existem diversas outras possibilidades, como a escolha de hospedagem e serviços de SEO para a otimização de páginas, entre outros. Mantenha um arquivo com os principais dados dos projetos web que trabalhou e faça contatos regulares de pós-venda, pode ser por e-mail ou por telefone, por exemplo. Além de oferecer a manutenção de sites você também pode fidelizar seus clientes. Já pensou nisso?

Boas práticas na entrega de um projeto web

A entrega de um projeto web é um momento muito importante para o cliente, pois é a concretização de um objetivo. Portanto, este é o momento para iniciar o pós-venda. Faça uma apresentação completa do site, explique detalhadamente o painel de controle e entregue um manual de instruções. O ideal é que o material tenha captura de telas, pois isso vai auxiliar o cliente a gerenciar o site. Aproveite a oportunidade para falar sobre os ajustes que serão necessários ao longo de um determinado período e reforce a importância do backup. Quanto mais solícito e esclarecedor você for, mais confiante e satisfeito ficará o cliente com o seu trabalho, aumentando as chances de aquisição de novos serviços.

5 passos estratégicos para o pós-venda

  1. Apresentar detalhadamente o projeto web, funcionalidades e recursos do painel de controle.
  2. Entregar um manual de instruções com a captura das telas para facilitar o reconhecimento do usuário.
  3. Mencionar os ajustes necessários no projeto web e o prazo recomendado para cada um deles.
  4. Ressaltar a importância do backup regular para resguardar as informações do site.
  5. Fazer contatos periódicos (podem ser mensais) para saber se o projeto web está correspondendo as expectativas e se colocar à disposição.

Você já coloca as dicas deste post em prática? Compartilhe conosco a sua experiência!

 

Fonte: HostGator


Por que um site lento é problemático (e como resolver isso)

Qual a sua reação quando está tentando acessar um site e ele não carrega? Se você fica incomodado, saiba que não está sozinho: 64% dos usuários tendem a deixar a página e buscar outro site que seja mais rápido. Este dado foi publicado pelo Profissional de E-commerce, que divulgou um alerta para quem vende pela internet: 79% dos usuários mais frequentes não compram em sites que são muito lentos.

Para ajudar a resolver os problemas de um site lento, o Google lançou uma ferramenta voltada para empreendedores, que testa a velocidade de sites, o Teste meu SiteO recurso é gratuito e apresenta o tempo de carregamento da página classificando se o resultado é satisfatório ou não e estimando um percentual de visitantes que deixam de acessá-lo por conta da lentidão. A ferramenta pode enviar um relatório gratuito com dicas de como aperfeiçoar o seu endereço digital. Aproveite também para comparar a velocidade de carregamento com o de outras empresas do seu setor.

Site lento: 7 pontos que devem ser avaliados

  1. Testar a velocidade na conexão padrão
  2. Analisar os dados do site
  3. Verificar HTML/CSS
  4. Executar JavaScript
  5. Testar a usabilidade em dispositivos móveis
  6. Dimensionar o conteúdo para mobile e verificar a legibilidade do texto
  7. Comparar a velocidade do seu site com outros semelhantes

Se você é empreendedor e não entende de desenvolvimento de sites, fique tranquilo pois existem vários recursos para verificar se sua página está lenta, inclusive já citamos aqui no blog. Veja 5 ferramentas gratuitas para testar a velocidade de carregamento do seu site. Independente do recurso escolhido, é imprescindível que você conheça as principais métricas do seu site. Afinal, é a partir dessas informações que você saberá quais as melhorias necessárias para atrair novos visitantes para o seu endereço digital.

3 motivos para acelerar a velocidade do seu site

Para quem tem um negócio online, o maior prejuízo de um site lento é deixar de vender. A Pesquisa Conversion do Consumidor Digital 2017 afirma que 93% dos brasileiros conectados já realizaram compras pela internet. Então, não espere mais para aumentar a velocidade de carregamento e a qualidade do seu site, pois isso também pode ser considerado uma estratégia de venda.

Usabilidade

A usabilidade é responsável por deixar os sites mais intuitivos e fáceis de usar. A facilidade de uso é um fator crucial para que os usuários permaneçam em uma determinada página ou não. Portanto, a lentidão não é o único problema que um site pode apresentar; um visitante pode desistir de continuar em um site se não encontrar as informações que busca. Para saber mais sobre usabilidade, leia o post que indica 7 páginas importantes que o seu site deve ter.

Ranking do Google

Você quer que o seu site apareça entre os primeiros resultados na busca do Google? Uma das suas preocupações deve ser resolver os problemas que deixam o site lento. É importante otimizar as imagens, desabilitar recursos desnecessários, habilitar o cache e claro, escolher uma hospedagem de confiança. Se ficou em dúvida sobre as recomendações, veja o post 7 dicas para melhorar a velocidade do site.

Experiência do Usuário

Atualmente se fala muito sobre a experiência do usuário e a mudança no comportamento dos consumidores. Uma pesquisa do Google aponta que 79% das pessoas que usam smartphones querem encontrar as informações que buscam de forma instantânea. Isso significa que se o site do seu negócio é lento e não está adaptado para os equipamentos móveis, essa não será uma boa experiência e você pode perder vendas e clientes. Quer melhorar a experiência do usuário? Confira se a sua empresa tem um site de qualidade.

Dispositivos móveis: velocidade é fundamental

Os smartphones contribuíram para tornar os consumidores mais imediatistas. Com a internet ao alcance das mãos, todos querem resultados imediatos, como apontou a pesquisa que citamos no parágrafo anterior. Se neste cenário um site lento já não tem vez, uma página que não é adaptada para dispositivos móveis também perde muitas oportunidades.

Se você ainda não ouviu falar em mobile first, é importante saber o que é e quais as vantagens de usar essa técnica para criar um site. A jornada de compra passa pelas ferramentas de busca, site e redes sociais, e muitas vezes todos os acessos são feitos pelo smartphone. Esses canais fornecem elementos que pesam na decisão dos consumidores. Por isso, um site lento pode fazer o seu negócio perder pontos e o cliente optar pela concorrência, mesmo que o seu produto ou serviço tenha mais qualidade ou melhor preço.

O site do seu negócio deve ser uma extensão da sua empresa, por isso é importante que a sua presença online esteja compatível com a realidade. Imagine que você tem uma transportadora e preza pela agilidade nas entregas, mas seu site é lento, a experiência do usuário é ruim e o consumidor não encontra as informações que busca. Para a internet ser a porta de entrada para novos clientes, você precisa manter o seu site em ordem e preparado para receber os novos visitantes, refletindo a qualidade dos seus serviços e do seu atendimento.

Por fim, lembre-se: as empresas que se adaptam mais rápido às mudanças tendem a se destacar mais, principalmente num cenário extremamente competitivo, como é a internet. Então, estude o seu público-alvo e ofereça a melhor experiência para fidelizá-lo e aumentar a rentabilidade do seu negócio.

Fonte: HostGator


Como um bom site ajuda a gerar mais negócios locais

Você já ouviu o termo “dá um Google“? Essa prática faz parte do dia a dia de praticamente todas as pessoas e as pesquisas são as mais variadas possíveis. As buscas na internet vão desde receitas culinárias a letras de música, passando por resultados de jogos esportivos e, principalmente, referências sobre negócios locais. Queremos saber qual a melhor padaria da cidade, referências de restaurantes veganos, qual a clínica veterinária mais próxima, onde encontrar uma loja de brinquedos, de roupas, calçados e por aí vai. Ou seja, você precisa aproveitar esse intenso volume de busca para atrair novos clientes para a sua empresa.

O primeiro passo para ser encontrado é ter um site, mesmo que a sua empresa não venda produtos online. Diariamente as pessoas  buscam na internet referências sobre negócios locais, querem saber os dias e horários de atendimento e procuram estabelecimentos próximos de onde estão. Se a sua empresa tiver um bom site é possível tirar proveito de estratégias como SEO local, uma maneira  de ajudar o seu potencial cliente a encontrar a sua empresa. Veja algumas dicas de como colocar isso em prática no seu site.

O que é um bom site para negócios locais?

Existem várias ferramentas de busca na internet, sendo o Google, a mais conhecida. Quando você pesquisa por algo nessas ferramentas, os buscadores fazem uma seleção entre os dados disponíveis online. O resultado dá preferência aos sites e informações que sejam mais relevantes para a experiência do usuário. Se você pesquisar por uma lanchonete, por exemplo, a tendência é que os primeiros resultados apresentados sejam os estabelecimentos mais próximos da sua localização e você ainda receberá algumas opções que facilitam o acesso ao local pesquisado, como o botão de ligar para a lanchonete ou direções e mapas sobre como chegar mais rapidamente. Percebeu como é importante que os negócios locais tenham um bom site? Só assim sua empresa poderá se posicionar melhor.

Uma pesquisa divulgada pelo site Think With Google aponta que olhamos nossos celulares mais de 150 vezes por dia. Isso significa que não basta ter um site que funcione apenas em notebooks e desktops, também é preciso pensar nos aparelhos móveis, como smartphones e tablets. Dados da mesma pesquisa revelam que 86% dos usuários de smartphones fazem pesquisa de compras usando aparelhos mobile. Os negócios locais não podem perder essa oportunidade de potencializar a divulgação dos seus produtos e serviços. Inclusive, para isso é fundamental que o site do seu negócio possua uma versão exclusiva para dispositivos móveis, como smartphones e tablets, caso contrário você pode perder clientes, uma vez que as informações do seu site podem aparecer desconfiguradas nestes tipos de equipamentos.

Um bom site deve ser funcional e atender tanto aos objetivos do seu negócio, como aos interesses dos clientes. É fundamental ter informações básicas do seu estabelecimento, como: endereço, formas de contato, horário de funcionamento e uma descrição clara sobre o que a sua empresa faz e seu segmento de atuação. O conteúdo deve ser estruturado de forma simples e objetiva, fazendo com que as informações sejam encontradas facilmente. Além disso, é fundamental que o site esteja otimizado para as ferramentas de busca. Falaremos mais sobre isso a seguir.

5 dicas para o seu site gerar mais negócios

Quem trabalha com o desenvolvimento de sites já está acostumado com os termos ranqueamento e busca local, mas quem não é dessa área costuma ficar um pouco confuso com expressões como essas. O ranqueamento é uma classificação feita pelas ferramentas de busca para definir a relevância do conteúdo que é apresentado em um site. Quanto melhor o ranqueamento, melhor posicionado um site fica no resultado de busca, facilitando que os usuários o encontrem e, consequentemente, o acessem. Para atingir um bom ranqueamento, deve-se levar em conta fatores como o conteúdo do site, a velocidade de carregamento da página e a adaptação para smartphones e outros aparelhos móveis.

Imagine que a palavra-chave do seu negócio é “flor de liz”. É importante que ela apareça nos títulos do seu site, nos cabeçalhos e conteúdo, nas descrições, nos nomes das imagens e URLs. Mas neste caso, as ferramentas de busca tendem a apresentar o seu negócio só para quem pesquisar exatamente este termo. Por isso, você pode optar por destacar a palavra-chave “floricultura no Rio de Janeiro”, fazendo com que seja possível que a sua empresa seja exibida para quem está em busca de flores na capital carioca. Percebeu que essa pode ser uma ótima oportunidade para negócios locais? A sua empresa pode ser encontrada por quem está em busca do serviço que você presta ou produtos que oferece, na região em que atua.

Também é importante dizer que os resultados das buscas variam de acordo com o equipamento utilizado. Você pode fazer o teste, pesquisar pelo supermercado mais próximo no seu computador e depois repetir a busca no smartphone. Como o telefone tem um sinal de GPS, vai considerar a sua localização e, portanto, vai apresentar resultados geolocalizados, ou seja, mostrar os supermercados mais próximos ao local que você se encontra no momento. Essa pode ser uma estratégia para negócios locais atraírem mais pessoas e conquistarem novos clientes.  

Confira algumas dicas básicas para que o seu site apareça mais nas buscas locais:

1) Descrição – Os sites de negócios locais devem ter uma descrição detalhada, explicando o que é a empresa, e quais os produtos ou serviços oferecidos. O usuário precisa entender rapidamente do que se trata o negócio, sem margem para dúvidas. Caso contrário, as chances dele abandonar o site em apenas alguns segundos, é grande. 

2) Categoria – A sua empresa deve ser categorizada de forma correta. Se você vende roupas infantis, deve deixar isso claro nos conteúdos do próprio site. Não basta dizer que o seu negócio vende “roupa de qualidade”, é preciso explicar que “roupas para crianças” e aí você pode reforçar que têm qualidade comprovada, por exemplo. 

3) Imagens – Adicione várias fotos no site. Vale mostrar desde a fachada da empresa até o interior das instalações e a exibição de produtos. Lembre-se que as fotos devem ter qualidade, então priorize a boa resolução, mas não exagere para não comprometer o carregamento da página. 

4) Informações – É importante descrever todas as informações sobre o seu negócio: nome da empresa, endereço, formas de contato (telefone/e-mail/WhatsApp), dias e horário de atendimento.

5) Depoimentos – Mostrar a opinião de clientes também é importante, afinal, o ponto de vista de quem já adquiriu seus serviços pode estimular outras pessoas a conhecerem a sua empresa. Mas lembre-se, as opiniões devem ser reais e ter sua publicação autorizada pelos autores.

Fonte: HostGator


O que é hospedagem de sites e como escolher o melhor custo-benefício para seu projeto

Se você não trabalha diretamente com tecnologia é possível que tenha dificuldade em compreender alguns termos comuns deste segmento. Talvez você não saiba o que é  hospedagem de sites, tenha dúvidas sobre domínio e não entenda a diferença entre servidores. Fique tranquilo, iremos ajudá-lo a entender esse universo (que nem é tão técnico assim) para que você fortaleça a sua presença digital.  

Qual a diferença entre domínio e hospedagem de sites?

Esses dois termos andam juntos, porque nenhum site vai para o ar sem eles. O domínio é o seu endereço na internet, ou seja, é o que vem depois do “www”. Pode ser o nome da sua empresa ou algo relacionado ao seu segmento de atuação. Por exemplo: www.floresdamaria.com.br ou www.floricultura.com.br. Cada domínio é exclusivo, por isso é importante conferir se o que você deseja usar está disponível. O órgão que regula e controla o registro de domínios no Brasil é o Registro.br, mas você pode fazer essa consulta e contratação através de alguns provedores de hospedagem, que também oferecem recursos para o registro de domínios internacionais, ou seja, que não utilizam .com.br.

Entender o que é hospedagem de sites também é fácil. Ela é responsável por armazenar todas as informações e arquivos contidos em um site Isso significa que, depois de escolher o domínio do seu site, você irá decidir onde ele ficará hospedado. Se traçarmos um comparativo, o domínio pode ser representado por um endereço, como “Rua João Augusto, nº 35”, enquanto a hospedagem é o espaço físico, que neste exemplo pode ser um comércio, uma casa ou apartamento, o local onde são guardados seus pertences. Na internet, os dados também ocupam um determinado espaço, mesmo que virtual. A hospedagem é, portanto, onde os conteúdos ficam armazenados e são disponibilizados na internet durante 24 horas por dia, todos os dias da semana.

Agora que você já sabe o que é hospedagem de sites é importante saber que existe um terceiro elemento muito importante: o servidor. Os conteúdos dos sites ocupam um espaço virtual (a hospedagem) que, por sua vez, precisa de uma estrutura física para arquivar as informações (os servidores).

Conheça os principais tipos de hospedagem

Assim como existe a hospedagem em hotéis, que costuma ser temporária, e o aluguel de casas, para uma permanência mais prolongada, também existem variações entre hospedagens de sites. No mercado existem vários planos, mas aqui falaremos sobre três deles. Você saberá o que é hospedagem para sites únicos, sites e domínios múltiplos e lojas virtuais. As formas de contratação e os benefícios também podem variar, como você verá a seguir.

Hospedagem para um único site

Entre os tipos de hospedagem de sites e formatos de contratação, você pode optar por planos com pagamentos mensais, trimestrais, semestrais, anuais ou por períodos maiores. Mas, afinal, o que é hospedagem de sites únicos? Como o próprio nome já diz, é um serviço que você contrata para apenas um domínio. O armazenamento pode ser limitado, mas a transferência de dados costuma ser ilimitada e você ainda tem benefícios como contas de e-mail gratuitas e pode usar um criador de sites sem custo adicional.

Hospedagem para múltiplos sites

Podemos classificar os planos de hospedagem de sites em pequenos, médios e grandes. O plano que apresentamos no tópico anterior pode ser considerado um plano pequeno, pois armazena apenas um site. Já um plano médio pode hospedar vários sites e domínios e o investimento tem pouca diferença. 

Hospedagem para múltiplos sites e lojas virtuais

Para quem precisa hospedar vários sites ou lojas virtuais, o ideal é optar por um plano preparado para grandes volumes de dados. Além de ter um armazenamento maior, um plano como este costuma oferecer certificado de segurança gratuito, que é o Certificado SSL.

Se você tem uma loja virtual é recomendado usar uma linguagem mais segura, com criptografia e certificado de segurança. Esses recursos transformam as informações em códigos e embaralham os dados para aumentar a segurança do usuário e tornar o seu site mais confiável. Temos um post que explica os principais motivos para usar HTTPs no seu site.

Vale lembrar que independente do plano escolhido é fundamental que o fornecedor da hospedagem ofereça atendimento 24 horas. Afinal, caso ocorra algum contratempo você precisará de auxílio para resolver.

4 aplicações que você precisa conhecer, agora que sabe o que é hospedagem de sites

WordPress

O WordPress é uma solução usada por 27% da população mundial para criar sites. A aplicação oferece mais de 350 temas que são totalmente customizáveis. Também é possível inserir vários plug-ins para simplificar a rotina de publicações de novos conteúdos, além de várias outras funções.

Joomla

O Joomla é uma ferramenta extremamente versátil, que também permite personalização. Essa é uma solução OpenSource, que possui um código aberto e é desenvolvido por meio de trabalho colaborativo, o que faz com que esteja em constante avanço.

Magento

O Magento é a opção ideal para quem quer começar uma loja virtual. A plataforma é prática e 100% flexível. Com apenas três cliques é possível instalar uma loja virtual.

Drupal

O Drupal é outra ferramenta muito conhecida por sua flexibilidade. É uma solução que dá agilidade ao desenvolvimento de projetos complexos, é segura, escalável e possui uma comunidade muito ativa e colaborativa.  Você pode usá-la para criar um site, blog ou portal.

Ficou mais fácil entender o que é hospedagem de sites e porque você deve conhecer esse universo mais a fundo? Se você ainda tem alguma dúvida.

 

Fonte: HostGator


Página 1 de 212