Rua João Lisboa s/n São Pedro
Codó-MA CEP 65.400-000
(99) 3661-3856
(99) 98805-2207
hostdominus@hotmail.com

Ferramentas


Como um bom site ajuda a gerar mais negócios locais

Você já ouviu o termo “dá um Google“? Essa prática faz parte do dia a dia de praticamente todas as pessoas e as pesquisas são as mais variadas possíveis. As buscas na internet vão desde receitas culinárias a letras de música, passando por resultados de jogos esportivos e, principalmente, referências sobre negócios locais. Queremos saber qual a melhor padaria da cidade, referências de restaurantes veganos, qual a clínica veterinária mais próxima, onde encontrar uma loja de brinquedos, de roupas, calçados e por aí vai. Ou seja, você precisa aproveitar esse intenso volume de busca para atrair novos clientes para a sua empresa.

O primeiro passo para ser encontrado é ter um site, mesmo que a sua empresa não venda produtos online. Diariamente as pessoas  buscam na internet referências sobre negócios locais, querem saber os dias e horários de atendimento e procuram estabelecimentos próximos de onde estão. Se a sua empresa tiver um bom site é possível tirar proveito de estratégias como SEO local, uma maneira  de ajudar o seu potencial cliente a encontrar a sua empresa. Veja algumas dicas de como colocar isso em prática no seu site.

O que é um bom site para negócios locais?

Existem várias ferramentas de busca na internet, sendo o Google, a mais conhecida. Quando você pesquisa por algo nessas ferramentas, os buscadores fazem uma seleção entre os dados disponíveis online. O resultado dá preferência aos sites e informações que sejam mais relevantes para a experiência do usuário. Se você pesquisar por uma lanchonete, por exemplo, a tendência é que os primeiros resultados apresentados sejam os estabelecimentos mais próximos da sua localização e você ainda receberá algumas opções que facilitam o acesso ao local pesquisado, como o botão de ligar para a lanchonete ou direções e mapas sobre como chegar mais rapidamente. Percebeu como é importante que os negócios locais tenham um bom site? Só assim sua empresa poderá se posicionar melhor.

Uma pesquisa divulgada pelo site Think With Google aponta que olhamos nossos celulares mais de 150 vezes por dia. Isso significa que não basta ter um site que funcione apenas em notebooks e desktops, também é preciso pensar nos aparelhos móveis, como smartphones e tablets. Dados da mesma pesquisa revelam que 86% dos usuários de smartphones fazem pesquisa de compras usando aparelhos mobile. Os negócios locais não podem perder essa oportunidade de potencializar a divulgação dos seus produtos e serviços. Inclusive, para isso é fundamental que o site do seu negócio possua uma versão exclusiva para dispositivos móveis, como smartphones e tablets, caso contrário você pode perder clientes, uma vez que as informações do seu site podem aparecer desconfiguradas nestes tipos de equipamentos.

Um bom site deve ser funcional e atender tanto aos objetivos do seu negócio, como aos interesses dos clientes. É fundamental ter informações básicas do seu estabelecimento, como: endereço, formas de contato, horário de funcionamento e uma descrição clara sobre o que a sua empresa faz e seu segmento de atuação. O conteúdo deve ser estruturado de forma simples e objetiva, fazendo com que as informações sejam encontradas facilmente. Além disso, é fundamental que o site esteja otimizado para as ferramentas de busca. Falaremos mais sobre isso a seguir.

5 dicas para o seu site gerar mais negócios

Quem trabalha com o desenvolvimento de sites já está acostumado com os termos ranqueamento e busca local, mas quem não é dessa área costuma ficar um pouco confuso com expressões como essas. O ranqueamento é uma classificação feita pelas ferramentas de busca para definir a relevância do conteúdo que é apresentado em um site. Quanto melhor o ranqueamento, melhor posicionado um site fica no resultado de busca, facilitando que os usuários o encontrem e, consequentemente, o acessem. Para atingir um bom ranqueamento, deve-se levar em conta fatores como o conteúdo do site, a velocidade de carregamento da página e a adaptação para smartphones e outros aparelhos móveis.

Imagine que a palavra-chave do seu negócio é “flor de liz”. É importante que ela apareça nos títulos do seu site, nos cabeçalhos e conteúdo, nas descrições, nos nomes das imagens e URLs. Mas neste caso, as ferramentas de busca tendem a apresentar o seu negócio só para quem pesquisar exatamente este termo. Por isso, você pode optar por destacar a palavra-chave “floricultura no Rio de Janeiro”, fazendo com que seja possível que a sua empresa seja exibida para quem está em busca de flores na capital carioca. Percebeu que essa pode ser uma ótima oportunidade para negócios locais? A sua empresa pode ser encontrada por quem está em busca do serviço que você presta ou produtos que oferece, na região em que atua.

Também é importante dizer que os resultados das buscas variam de acordo com o equipamento utilizado. Você pode fazer o teste, pesquisar pelo supermercado mais próximo no seu computador e depois repetir a busca no smartphone. Como o telefone tem um sinal de GPS, vai considerar a sua localização e, portanto, vai apresentar resultados geolocalizados, ou seja, mostrar os supermercados mais próximos ao local que você se encontra no momento. Essa pode ser uma estratégia para negócios locais atraírem mais pessoas e conquistarem novos clientes.  

Confira algumas dicas básicas para que o seu site apareça mais nas buscas locais:

1) Descrição – Os sites de negócios locais devem ter uma descrição detalhada, explicando o que é a empresa, e quais os produtos ou serviços oferecidos. O usuário precisa entender rapidamente do que se trata o negócio, sem margem para dúvidas. Caso contrário, as chances dele abandonar o site em apenas alguns segundos, é grande. 

2) Categoria – A sua empresa deve ser categorizada de forma correta. Se você vende roupas infantis, deve deixar isso claro nos conteúdos do próprio site. Não basta dizer que o seu negócio vende “roupa de qualidade”, é preciso explicar que “roupas para crianças” e aí você pode reforçar que têm qualidade comprovada, por exemplo. 

3) Imagens – Adicione várias fotos no site. Vale mostrar desde a fachada da empresa até o interior das instalações e a exibição de produtos. Lembre-se que as fotos devem ter qualidade, então priorize a boa resolução, mas não exagere para não comprometer o carregamento da página. 

4) Informações – É importante descrever todas as informações sobre o seu negócio: nome da empresa, endereço, formas de contato (telefone/e-mail/WhatsApp), dias e horário de atendimento.

5) Depoimentos – Mostrar a opinião de clientes também é importante, afinal, o ponto de vista de quem já adquiriu seus serviços pode estimular outras pessoas a conhecerem a sua empresa. Mas lembre-se, as opiniões devem ser reais e ter sua publicação autorizada pelos autores.

Fonte: HostGator


5 ferramentas para quem deseja ser um freelancer

Sabemos que a ideia de trabalhar de casa é tentadora, mas que muitos ainda têm medo de se jogar na vida de freelancer e acabar se perdendo nela. Se você tem pensado nessa possibilidade, saiba que existem algumas ferramentas que podem lhe auxiliar durante o trabalho, lhe ajudando a ter mais foco nas tarefas e a controlar seus gastos.

Sim, porque ser um freelancer não é tão simples assim. É tão complicado quanto trabalhar em um emprego habitual, nós já falamos sobre isso por aqui, mas para ajudá-lo, listamos 7 aplicativos para você começar no mundo dos freelas com tudo! Confira:

1 – Gmail + Drive + Docs + Agenda…

Com uma conta de e-mail Google é possível agilizar muito sua vida como freelancer. E-mail, Hangout, Drive, Agenda e Docs são algumas das funcionalidades oferecidas. O melhor é que é tudo integrado, você não precisa abrir vários softwares ao mesmo tempo para trabalhar.

Um ponto positivo é o Google Docs, com esse serviço é possível compartilhar documentos, apresentações e planilhas sem mistério algum – e a equipe pode acompanhar as alterações e contribuir em real time.

O Google Agenda também é espetacular! Ele avisa TUDO, TUDO! Sabe aquela reunião que você havia marcado para segunda, às 10h? Você não irá se esquecer! Um e-mail às 9h50 aparecerá em sua caixa de entrada alertando sobre ela. É mágico! 🙂

2 – Trello

Para gerenciar tarefas essa é uma ferramenta muito boa. O Trello é muito fácil de ser utilizado e também tem uma versão para smartphone. Dessa forma, se você estiver viajando, é muito mais fácil acompanhar o andamento de suas tarefas. Por ele é possível estabelecer datas para a entrega dos trabalhos, marcar os membros da equipe, criar check-list, realizar o upload de imagens, comentar e muito mais. Se você utiliza metodologia ágil, também é possível utilizar plugins para contabilizar as horas e a pontuação dos afazeres.

3 – Slack

Se você tiver que lidar com uma equipe grande, o Slack é uma boa opção para contato. É possível centralizar a comunicação pela ferramenta e ele também possui APP para smartphone. Fora que a interface é muito divertida e dá para apagar as mensagens. Sabe aquela resposta que você escreveu correndo e acabou errando algumas palavras? É… Lá dá para alterar! 😉

4 – StayFocusd Chrome Extension

Problemas para focar em suas tarefas? Fique tranquilo porque com o StayFocusd será muito mais fácil evitar as distrações. Ele é uma extensão para o Google Chrome e lhe ajudará a perceber o quanto de tempo você tem desperdiçado com as redes sociais, por exemplo. Ele pega pesado com aqueles malandrinhos, que tentam dar uma escapada básica, sabe? Vale usar!  

5 – Hootsuite

Você é social media e está pensando em pegar uns freelas? O Hootsuite é uma plataforma interessante para agendar posts e acompanhar as menções das marcas nas redes. Com ele é possível agendar tweets, postagens no Instagram, LinkedIn e no Facebook, também.
[+] Dicas importantes:

Realize reuniões semanais com seus freelas para alinhar a pauta. Se você presta serviço para uma empresa que fica em outra cidade, utilize o Skype ou o Hangout, mas não se esqueça das presenciais – olho no olho ainda é melhor;

Faça do seu trabalho uma prioridade. Identifique o horário em que você é mais produtivo e deixe para realizar as tarefas sempre naquele momento. Será mais fácil alinhar o lazer com seus freelas nesse caso;

Está monótono trabalhar de casa? Faça algo diferente, que desperte sua criatividade! Que tal passar a tarde em uma cafeteria? O aroma do café, as pessoas e o próprio ambiente é inspirador. Experimente!

Fonte: Locaweb


Manual do Blog: Como construir personas e engajar o seu público

Agora que você já tem tudo preparado para o seu blog – registrou o domínio, encontrou uma hospedagem e tem o layout definido, é hora de pensar em seu leitor, os assuntos que você irá produzir e o quanto é importante ter ele envolvido com o seu blog. Para isso, preparamos algumas dicas para você construir personas e manter o seu público engajado. Venha conferir!

Idealizando o leitor do seu blog

O processo de definição de público está interligado com a criação de conteúdo do seu blog, pois esse público será formado por aquelas pessoas que se identificam com o que você produz. Dessa forma, o público é moldado conforme você cria assuntos que interessam.
É preciso ter em mente quem você quer que seja o seu leitor e comece a construir um perfil que o define – o que chamamos de construir personas.
Personas são representações fictícias do seu público-alvo e auxiliam você à tomar decisões, isso ajudará e acompanhará você por todo o caminho do blog.

A construção desse perfil constitui em reunir informações demográficas e sobre comportamento do seu leitor, como por exemplo: local onde mora, idade, interesses e outros. É comum finalizar essa análise e encontrar mais de um perfil de persona, já que não é preciso limitar-se à uma única descrição para não restringir muito o seu público – mas também não exagere para não perder o foco.
A criação de personas permite que você tenha conhecimento e controle de quem acompanha o seu conteúdo, veja como fazer esse perfil.

Construindo Personas

Há inúmeros métodos para a construir personas e todos consistem em responder algumas perguntas. Transferindo para o ambiente de um blog, podemos customizar essas perguntas e chegamos em algo semelhante à isso:

  • Qual é a idade o seu leitor?
  • Quais assuntos o interessam?
  • Quais são suas expectativas?
  • Ele possui preocupações?
  • Quais são os seus hobbies e paixões?
  • Que tipo de post ele gostaria de ler?
  • Que tipo de informação ele busca em outros blogs?
  • Quais livros ele gosta de ler?
  • Quais são seus objetivos?
  • Quais são suas habilidades?
  • O que ele não gosta de fazer?
  • Quais assuntos ele não gosta?

E muitas outras perguntas que você pode ir adicionando. Liste vários exemplos de conteúdos que interessariam o seu leitor e após finalizar comece a respondê-las.

A última parte desse processo para construir personas é completar a seguinte ficha:

  • Nome (fictício):
  • Alguma imagem que ilustre sua persona:
  • Idade:
  • Sexo:
  • Trabalho:
  • Nível de estudo:
  • Desejos:
  • Medos:
  • Desafios:
  • Como eu posso ajudar com o meu blog:

É claro que no dia a dia do blog nos deparamos com um público que não esperávamos encontrar, e para conhecer o seu leitor real você pode observar melhor os feedbacks que recebe, analisar qual é o post mais comentado, o que seu leitor costuma comentar, qual post teve mais compartilhamentos.. e por ai vai. Uma ótima opção para conhecer quem acompanha o seu blog é fazer uma pesquisa de público com um formulário do Google Docs, por exemplo. Lembre-se de deixar a pesquisa simples e rápida para receber bastante respostas.

Outra opção é utilizar o Google Analytics, com ele você tem métricas reais e confiáveis para entender como os usuários se comportam no seu blog e descobrir de onde eles vieram. Você pode também conhecer as suas maiores fontes de tráfego para ajudar em metas de crescimento e para te dar um conhecimento mais aprofundado para rever sua estratégia de divulgação e criação de conteúdo.

Essas duas práticas ajudam a moldar toda a sua trajetória com o blog e auxiliam você na hora de tomar decisões ao produzir os conteúdos, além de proporcionar que você envie a mensagem certa para a pessoa certa. Conforme você vai imaginando seu leitor ideal e comparando com o seu leitor real, o processo para construir a identidade do seu blog se torna mais simples e o tão sonhado engajamento com o público será alcançado.

Mas o que é engajamento com o público?

O engajamento, no ambiente de um blog, define o nível de envolvimento e interação que você alcança com o seu público, podemos dizer que o engajamento é o relacionamento entre você e seus leitores.
Ao estabelecer uma conexão mais íntima você cria uma afinidade com o público, dessa forma, o engajamento trata-se de encantar pessoas a fim de que elas produzam uma ação – seja ela comentar em seus posts, compartilhar nas redes sociais ou se inscrever no seu blog para acompanhar as novidades.

Resumindo: o engajamento é resultado do seu trabalho como criador de conteúdo e esse é um fator essencial para um blog, pois é envolvendo e inspirando as pessoas que você as estimula à compartilhar ou curtir o que você produz.

Com o seu público bem definido após construir personas e analisar seu leitor real, a criação de conteúdos está a todo vapor, não é mesmo? Agora você deve se preocupar em conquistar cada vez mais novos seguidores. Mais do que isso: o que você quer de fato é que o seu blog tenha sucesso com pessoas que se identificam com o conteúdo que você produz e que queiram receber novidades – você quer leitores engajados! Não é mesmo? Para manter o engajamento sempre em alta utilize alternativas como a construção de listas de e-mail para envio de newsletter.

Uma solução: Lista de e-mails

Sabe aquele campo para informar o seu e-mail e receber os conteúdos em primeira mão que você vê na maioria dos blog? Então, ele é um ótimo aliado para você construir uma lista de e-mails de quem costuma visitar o blog. Criar essa lista é uma solução para aproximar o seu leitor e contar as novidades que você preparou.
Essa tem o principal objetivo de disponibilizar uma newsletter periódica com alguns informativos sobre o seu conteúdo. Além disso, a newsletter permite que você produza um conteúdo exclusivo ou complementar somente para quem assina – não é uma ótima ideia?!

Sem falar que na porcentagem de visualização, uma newsletter costuma ser mais visualizada que uma divulgação no Facebook, por exemplo, pois quem disponibiliza o próprio e-mail está realmente interessado em receber o seu conteúdo – sem contar que o Facebook possui um certo filtro e as suas publicações não aparecem no feed de todos os seus seguidores, lembra?

Tenha em mente algumas preocupações ao criar sua newsletter: pense em um layout agradável e simples, com conteúdo ‘escaneável’ para ter o máximo de aproveitamento, um título bacana que desperte o interesse de abrir o e-mail e, é claro, crie algo que faça valer a pena a assinatura.
Lembre-se também de adaptar o layout do seu blog para que o campo de assinatura seja visível – para que sua lista de e-mails nunca pare de crescer!

Fonte: HostGator


Template WordPress: como escolher o melhor tema para seu site ou blog

Como escolher template wordpress

A escolha do layout é essencial para um site ou blog, concorda? Por isso, um dos primeiros passos que você deve analisar antes de publicar seu projeto online é a escolha do template.

Essencial para a organização de um site, o template (ou tema) determina como os elementos do seu site (menus, header, rodapé, textos, imagens, vídeos) serão apresentados para seus leitores ou clientes. 

Se você vai utilizar o WordPress para publicar seu site, o número de opções é realmente grande, tanto para versões pagas (premium), como para versões gratuitas.

Independentemente da sua escolha, é importante que analise alguns critérios antes de selecionar o template WordPress ideal para seu projeto. Por isso, separamos algumas dicas que você pode conferir abaixo:

1. Escolha um template com a “cara” do seu projeto

Template WordPress grátis

Bom, são muitas opções. Então, para começar pense no tipo de site que você quer criar. É um site institucional, um portefólio online, um blog pessoal ou de negócios, uma loja virtual?

Com estas informações em mente, você já consegue fazer uma seleção – já que nem todos os templates disponíveis servem para os mesmos objetivos. Alguns temas, inclusive, são projetados para fins específicos como, por exemplo, para um e-commerce, para uma ONG, um restaurante, um pet shop.

Dica: o perfil do seu negócio é importante, mas lembre-se de pensar também no público que você quer atingir. Se seu público é jovem, por exemplo, um template mais moderno pode funcionar melhor. Para executivos, talvez algo mais formal seja o ideal.

2. Avalie o nível de customização

Se você vai utilizar um template pronto, o ideal é verificar se o tema escolhido pode ser adequado para atender suas necessidades. Pense quais são os recursos que você vai precisar, e busque opções que tragam o nível de personalização necessária.

Temas customizáveis permitem o uso de recursos extras, como fácil integração com as redes sociais, criação de formulários de inscrição e/ou contato, galerias de fotos, entre outras opções.

Dica: caso o tema que você escolheu não ofereça algum dos recursos que você busca, também é possível ativar utilizando plugins.

3. Analise se atende os requisitos de SEO

Para que seu site seja facilmente encontrado nos mecanismos de busca, utilizar um template com SEO amigável é uma ótima ideia. Confira a descrição do template, normalmente ele já informa quais as características que você pode esperar daquele tema. SEO friendly deve ser a palavra que você vai encontrar para descrever esta característica.

Dica: além do template amigável, é recomendável também adicionar um plugin de SEO. No blog da HostGator, utilizamos o WordPress SEO by Yoast.

4. Escolha um tema responsivo

Como escolher um template responsivo para seu site

Ser responsivo não é mais um luxo. Com o número de acessos via tablets e celulares crescendo velozmente, ter um site responsivo hoje é necessidade, e deve ser um dos aspectos consideramos estratégicos na publicação de um site ou blog.

Então, ao fazer a seleção do seu template WordPress, escolha um que se ajuste automaticamente os parâmetros para garantir a melhor visualização do conteúdo também em dispositivos móveis.

Lembrando: responsividade passou a ser um dos fatores de ranqueamento para o Google, que privilegia sites responsivos nas buscas feitas via dispositivos móveis. Para mais informações sobre essa mudança, confira o post que apresenta as principais vantagens de ter um site responsivo, e aborda algumas opções disponíveis.

5. Certifique-se de que o template está atualizado

Bom, não é só o WordPress que faz atualizações constantes para implementar melhorias e fazer pequenas correções. Temas também podem (e devem) ser atualizados. Quando escolher seu template, certifique-se que ele foi atualizado no último ano ou recentemente, e verifique se não existem problemas de segurança anteriores.

Não compre nem baixe templates de fontes desconhecidas. Se for adquirir, utilize fontes confiáveis – existem vários sites especializados como o Mojo, por exemplo. Se for baixar um tema gratuito, utilize a busca da Área administrativa para encontrar o template, ou busque noacervo de temas do próprio WordPress.

Então, pronto para colocar a mão na massa e dar os primeiros passos para publicar seu site?

Fonte: HostGator


Página 1 de 212