Rua João Lisboa s/n São Pedro
Codó-MA CEP 65.400-000
(99) 3661-3856
(99) 98805-2207
contato@hostdominus.com.br
vendas@hostdominus.com.br

Blog


O que é revenda de hospedagem? Saiba como começar a sua

A revenda de hospedagem é uma oportunidade que os grandes fornecedores de hosting, como a HOST DOMINUS, disponibilizam para quem deseja revender seus serviços. É um produto que promove um negócio próprio, pois através dele, uma pessoa pode oferecer serviços de hospedagem para terceiros, gerenciando valores, planos, pacotes e recursos que serão disponibilizados aos clientes.

Se você já pensou em usar o potencial da internet para empreender, a revenda de hospedagem é uma excelente oportunidade. A vantagem é que o negócio pode ser desenvolvido e gerenciado da maneira que o proprietário desejar, além do processo de contratação da revenda ser simples e rápido. Este tipo de empreendimento é, geralmente, destinado a desenvolvedores, agências digitais que necessitam hospedar sites de clientes, e demais interessados em abrir uma empresa de hospedagem e que possuam conhecimento na área (um requisito importante). O momento é favorável: os empreendedores estão cada vez mais convencidos sobre a importância da presença digital para seus negócios.

O negócio de revenda permite que você tenha uma marca própria de servidores de hospedagem. Além disso, você pode gerenciar os valores dos pacotes, a capacidade de armazenamento e transferência e até os recursos disponíveis. Por meio do painel WHM (gerenciador da revenda) é possível criar e gerenciar as contas adquiridas. Através dele, é feita a liberação do cPanel para os clientes, assim como a suspensão e qualquer alteração, edição ou exclusão das configurações realizadas em um site.

3 características de uma revenda de hospedagem

1. Flexibilidade

Com o Painel de Controle WHM você terá flexibilidade para gerenciar os planos de hospedagem de seus clientes. Além disso, terá total independência para criar e modificar as contas e poderá conceder acesso a recursos para a gestão de sites e e-mails.

2. Faturamento automatizado

Você não precisa se preocupar com a gestão financeira da sua revenda de hospedagem. É possível automatizar suas necessidades de faturamento usando o WHMCS, uma facilidade que a HostDominus oferece gratuitamente para revendedores.

3. Escalabilidade

A revenda de hospedagem é um negócio facilmente escalável. Você é quem tem o controle sobre a distribuição de recursos e, sempre que precisar, pode facilmente expandir seu plano de revenda. O upgrade é fácil e rápido.

O Tudo sobre Hospedagem de Sites analisou e criou um ranking com as principais empresas de revenda de hospedagem do Brasil e do mundo. Foi traçado um comparativo entre preço, espaço em disco, tráfego e e-mail.

Se você ainda tem dúvidas se a revenda de hospedagem é realmente um bom negócio e indicada para você, entre em contato conosco.

 

Fonte: Texto tirado do blog HostGator


Manutenção de Sites: como o pós-venda pode aumentar a sua receita

Quem trabalha com desenvolvimento de sites sabe que concluir um projeto e entregá-lo ao cliente não significa, obrigatoriamente, o fim da prestação de serviços. O pós-venda e a manutenção de sites podem render uma boa renda extra. Por isso, neste post vamos apresentar algumas dicas sobre como vender o serviço de atualização e manutenção de sites.

6 tipos de manutenção de sites

Só garantir a presença digital não basta, também é preciso se diferenciar para atrair a atenção do público. Por isso, manter um site atualizado é tão importante quanto criar um novo site. Veja abaixo alguns tipos de manutenção que você pode oferecer aos seus clientes.

1) Backup

Uma preocupação essencial para quem tem um site é a segurança. Pensando nessa demanda, um serviço que você pode incluir no seu pós-venda é a oferta de backups. A regularidade pode variar de acordo com o tamanho da empresa ou o tipo de negócio, desde backups diários, semanais, quinzenais ou mensais. Essa rotina é fundamental para garantir que o seu cliente não perderá tudo caso ocorra algum imprevisto. Temos um post sobre backup online com alguns argumentos relevantes para defender a importância da manutenção de sites.

2) Código fonte

No dia a dia é comum surgirem situações em que o serviço de suporte está diretamente ligado ao código fonte. Por isso, é interessante reforçar junto aos clientes que um código limpo e sem erros reduz os custos de manutenção de sites. Este também é um meio de valorizar o seu trabalho e explicar os custos de um projeto.

3) Análise de tráfego

Outra demanda que pode ser caracterizada como manutenção de sites é a análise de tráfego. Ou seja, você pode avaliar a performance de cada página e propor estratégias para melhorar o desempenho. Isso vale tanto para aumentar a conversão de e-commerces, reduzir a taxa de rejeição e até aumentar o índice de visitantes únicos, por exemplo.

4) Atualização avulsa

Quem trabalha com desenvolvimento também costuma ser muito procurado para fazer a manutenção de sites estáticos. São demandas caracterizadas como avulsas e vão desde atualizações simples de conteúdo, como endereço e número de telefone, a upgrades mais completos, que envolvem ações como modificar a arquitetura da informação.

5) Manutenção periódica

Você também pode criar planos periódicos de manutenção de sites. Essa prática pode ter muita relação com sites de e-commerce, que requerem atualização constante. A periodicidade pode ser negociada com o cliente e as alterações também podem estar previstas em um acordo de nível de serviço. Também é importante atualizar o cliente sobre as atividades desenvolvidas, tanto para apontar o que foi feito, como para valorizar a sua atuação.

6) Reconstrução

Existem projetos em que a simples manutenção de sites não atende a expectativa do cliente. Então, quando for necessário corrigir muitas falhas no código fonte ou modificar bastante o projeto web, ofereça a reconstrução. Este serviço também se aplica aos casos em que é preciso reformular um site para adequá-lo aos dispositivos móveis. Você já leu nosso post sobre mobile first?

Conhecendo o perfil dos seus clientes você pode adequar a oferta de serviços. Existem diversas outras possibilidades, como a escolha de hospedagem e serviços de SEO para a otimização de páginas, entre outros. Mantenha um arquivo com os principais dados dos projetos web que trabalhou e faça contatos regulares de pós-venda, pode ser por e-mail ou por telefone, por exemplo. Além de oferecer a manutenção de sites você também pode fidelizar seus clientes. Já pensou nisso?

Boas práticas na entrega de um projeto web

A entrega de um projeto web é um momento muito importante para o cliente, pois é a concretização de um objetivo. Portanto, este é o momento para iniciar o pós-venda. Faça uma apresentação completa do site, explique detalhadamente o painel de controle e entregue um manual de instruções. O ideal é que o material tenha captura de telas, pois isso vai auxiliar o cliente a gerenciar o site. Aproveite a oportunidade para falar sobre os ajustes que serão necessários ao longo de um determinado período e reforce a importância do backup. Quanto mais solícito e esclarecedor você for, mais confiante e satisfeito ficará o cliente com o seu trabalho, aumentando as chances de aquisição de novos serviços.

5 passos estratégicos para o pós-venda

  1. Apresentar detalhadamente o projeto web, funcionalidades e recursos do painel de controle.
  2. Entregar um manual de instruções com a captura das telas para facilitar o reconhecimento do usuário.
  3. Mencionar os ajustes necessários no projeto web e o prazo recomendado para cada um deles.
  4. Ressaltar a importância do backup regular para resguardar as informações do site.
  5. Fazer contatos periódicos (podem ser mensais) para saber se o projeto web está correspondendo as expectativas e se colocar à disposição.

Você já coloca as dicas deste post em prática? Compartilhe conosco a sua experiência!

 

Fonte: HostGator


Por que um site lento é problemático (e como resolver isso)

Qual a sua reação quando está tentando acessar um site e ele não carrega? Se você fica incomodado, saiba que não está sozinho: 64% dos usuários tendem a deixar a página e buscar outro site que seja mais rápido. Este dado foi publicado pelo Profissional de E-commerce, que divulgou um alerta para quem vende pela internet: 79% dos usuários mais frequentes não compram em sites que são muito lentos.

Para ajudar a resolver os problemas de um site lento, o Google lançou uma ferramenta voltada para empreendedores, que testa a velocidade de sites, o Teste meu SiteO recurso é gratuito e apresenta o tempo de carregamento da página classificando se o resultado é satisfatório ou não e estimando um percentual de visitantes que deixam de acessá-lo por conta da lentidão. A ferramenta pode enviar um relatório gratuito com dicas de como aperfeiçoar o seu endereço digital. Aproveite também para comparar a velocidade de carregamento com o de outras empresas do seu setor.

Site lento: 7 pontos que devem ser avaliados

  1. Testar a velocidade na conexão padrão
  2. Analisar os dados do site
  3. Verificar HTML/CSS
  4. Executar JavaScript
  5. Testar a usabilidade em dispositivos móveis
  6. Dimensionar o conteúdo para mobile e verificar a legibilidade do texto
  7. Comparar a velocidade do seu site com outros semelhantes

Se você é empreendedor e não entende de desenvolvimento de sites, fique tranquilo pois existem vários recursos para verificar se sua página está lenta, inclusive já citamos aqui no blog. Veja 5 ferramentas gratuitas para testar a velocidade de carregamento do seu site. Independente do recurso escolhido, é imprescindível que você conheça as principais métricas do seu site. Afinal, é a partir dessas informações que você saberá quais as melhorias necessárias para atrair novos visitantes para o seu endereço digital.

3 motivos para acelerar a velocidade do seu site

Para quem tem um negócio online, o maior prejuízo de um site lento é deixar de vender. A Pesquisa Conversion do Consumidor Digital 2017 afirma que 93% dos brasileiros conectados já realizaram compras pela internet. Então, não espere mais para aumentar a velocidade de carregamento e a qualidade do seu site, pois isso também pode ser considerado uma estratégia de venda.

Usabilidade

A usabilidade é responsável por deixar os sites mais intuitivos e fáceis de usar. A facilidade de uso é um fator crucial para que os usuários permaneçam em uma determinada página ou não. Portanto, a lentidão não é o único problema que um site pode apresentar; um visitante pode desistir de continuar em um site se não encontrar as informações que busca. Para saber mais sobre usabilidade, leia o post que indica 7 páginas importantes que o seu site deve ter.

Ranking do Google

Você quer que o seu site apareça entre os primeiros resultados na busca do Google? Uma das suas preocupações deve ser resolver os problemas que deixam o site lento. É importante otimizar as imagens, desabilitar recursos desnecessários, habilitar o cache e claro, escolher uma hospedagem de confiança. Se ficou em dúvida sobre as recomendações, veja o post 7 dicas para melhorar a velocidade do site.

Experiência do Usuário

Atualmente se fala muito sobre a experiência do usuário e a mudança no comportamento dos consumidores. Uma pesquisa do Google aponta que 79% das pessoas que usam smartphones querem encontrar as informações que buscam de forma instantânea. Isso significa que se o site do seu negócio é lento e não está adaptado para os equipamentos móveis, essa não será uma boa experiência e você pode perder vendas e clientes. Quer melhorar a experiência do usuário? Confira se a sua empresa tem um site de qualidade.

Dispositivos móveis: velocidade é fundamental

Os smartphones contribuíram para tornar os consumidores mais imediatistas. Com a internet ao alcance das mãos, todos querem resultados imediatos, como apontou a pesquisa que citamos no parágrafo anterior. Se neste cenário um site lento já não tem vez, uma página que não é adaptada para dispositivos móveis também perde muitas oportunidades.

Se você ainda não ouviu falar em mobile first, é importante saber o que é e quais as vantagens de usar essa técnica para criar um site. A jornada de compra passa pelas ferramentas de busca, site e redes sociais, e muitas vezes todos os acessos são feitos pelo smartphone. Esses canais fornecem elementos que pesam na decisão dos consumidores. Por isso, um site lento pode fazer o seu negócio perder pontos e o cliente optar pela concorrência, mesmo que o seu produto ou serviço tenha mais qualidade ou melhor preço.

O site do seu negócio deve ser uma extensão da sua empresa, por isso é importante que a sua presença online esteja compatível com a realidade. Imagine que você tem uma transportadora e preza pela agilidade nas entregas, mas seu site é lento, a experiência do usuário é ruim e o consumidor não encontra as informações que busca. Para a internet ser a porta de entrada para novos clientes, você precisa manter o seu site em ordem e preparado para receber os novos visitantes, refletindo a qualidade dos seus serviços e do seu atendimento.

Por fim, lembre-se: as empresas que se adaptam mais rápido às mudanças tendem a se destacar mais, principalmente num cenário extremamente competitivo, como é a internet. Então, estude o seu público-alvo e ofereça a melhor experiência para fidelizá-lo e aumentar a rentabilidade do seu negócio.

Fonte: HostGator


Custo do desenvolvimento de sites: aprenda a calcular e negociar com o seu cliente

Calcular o custo do desenvolvimento de sites e aplicativos é uma dúvida de muitos desenvolvedores. Por isso, neste post trazemos algumas dicas de como precificar um projeto e justificar o valor ao cliente. Vale lembrar que o planejamento é fundamental para qualquer projeto web. Portanto, o primeiro passo deve ser sempre a elaboração do briefing. Partindo das informações iniciais você já pode montar um escopo do projeto e validar o orçamento e o cronograma de entregas com o cliente.

Como calcular o preço de um projeto web

Antes de calcular o custo do desenvolvimento de sites ou aplicativos é preciso entender a expectativa do cliente: o que ele espera do serviço, como deve ser a interface e quais são as funcionalidades do site? Com essas informações você poderá definir qual aplicação usar, as integrações necessárias e demais particularidades.

Basicamente existem dois modelos de cobrança: por hora ou por projeto. O primeiro é mais usado em demandas mais pontuais, como manutenções ou correções de bugs. Já o segundo formato costuma ser aplicado a projetos mais completos, que serão produzidos do zero, como o desenvolvimento de sites ou apps, por exemplo.

Se você ainda fica um pouco inseguro na hora de calcular o custo do desenvolvimento de sites e projetos web, uma dica é usar a Calculadora Freelancer para estimar o valor da sua hora de trabalho ou de um projeto. O cálculo se baseia em quanto você deseja ganhar por mês, quantas horas tem disponíveis por dia e quantos dias da semana pretende trabalhar. Com essa estimativa fica mais fácil calcular o custo de um projeto.

Outro exemplo é o site www.quantocustaumaplicativo.com que é uma espécie de briefing, com perguntas simples que ajudam a calcular o custo para a criação de um aplicativo. Você pode até se inspirar nestes exemplos para criar um formulário com perguntas mais relacionadas às suas habilidades e experiências. No caso do desenvolvimento de sites, você pode adicionar opções de aplicações, versões para desktop e mobile e até incluir o serviço de hospedagem.

3 erros para evitar na negociação de um site

1) Não entender o objetivo do cliente

Muitas vezes, os clientes têm a necessidade de desenvolver um site, mas não sabem qual é o formato mais indicado para cada tipo de negócio. Portanto, cabe a você desenvolvedor explicar as diferenças entre modelos e formatos, como site institucional, e-commerce, one page, blog e site gerenciável, por exemplo. Para isso é fundamental entender o objetivo do cliente e direcioná-lo para a melhor opção, inclusive orientando sobre SEOnegócios locais e outras funcionalidades que contribuam para os resultados alcançados.

2) Não recomendar outros serviços

Todo site precisa de domínio, hospedagem, painel de controle. Embora tudo isso seja muito comum para desenvolvedores, costuma ser extremamente novo para quem é leigo no assunto. Então, além de descrever os serviços necessários, é importante recomendar os melhores fornecedores. O desenvolvimento de sites pode incluir um pacote completo de serviços e esses custos podem ser contemplados no seu próprio orçamento. Tudo o que simplifica a vida do cliente tende a ser bem-vindo.

3) Não apresentar tendências

Como profissional de tecnologia você está sempre atento às novas tendências do mercado. Então, repasse esse conhecimento aos clientes. Mesmo que a demanda se limite ao desenvolvimento de sites, você deve ressaltar a importância de projetos responsivos, da velocidade de carregamento, da disponibilidade do site e até de conteúdos voltados para as ferramentas de busca.

 

Você já oferece serviços adicionais aos seus clientes? Compartilhe conosco como tem sido essa experiência.

Fonte: HostGator


Página 1 de 1512345...10...Última »